Com maquiagem nao se brinca

Cosméticos inadequados à faixa etária das crianças podem causar alergias e irritações graves na cútis

Apesar de as meninas, desde cedo, apresentarem um fascínio natural pela maquiagem ou pelo uso de cosméticos, a pele das crianças é naturalmente mais sensível do que a dos adultos, portanto, o uso destes produtos não é recomendado para menores de seis anos e deve ser evitado pelos pequenos até que completem 12 anos. Especialistas alertam que, em alguns casos, sua utilização pode causar dois tipos de reação na cútis dos baixinhos: irritação e alergia de contato. Além disso, é comum que os pimpolhos tentem ingerir os produtos, tornando o seu uso ainda mais perigoso.

As alterações depois da aplicação de cremes, maquiagens e xampus inadequados apresentam sintomas como coceira, vermelhidão, inchaço e descamação. O problema é que a alergia se manifesta de forma tardia, entre 48 a 96 horas após o contato com a substância. “Não fosse só isso, os sintomas demoram cerca de duas semanas para passar”, afirma Yara Mello, alergologista e diretora do Serviço de Alergologia e Imunologia do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos.

De tão importante, o assunto virou tema de consulta pública e, recentemente no País, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) mudou a regulamentação dos cosméticos destinados a crianças, além de criar uma cartilha de auxílio aos pais disponível no site da agência. Por lá, é possível saber o que está liberado, além de orientações gerais sobre riscos e o que fazer em casos de contaminação.

Vaidade precoce
Naturalmente vaidosas, as meninas precisam ser alertadas pelas mães que também devem estar alertas à desobediência. “Não é recomendável qualquer tipo de maquiagem em menores de seis anos devido a sua falta de entendimento quanto aos cuidados de não esfregá-las nos olhos ou ingeri-las”, informa João Paulo Junqueira Magalhães Affonso, especialista em dermatologia avançada.

Por possuírem características diferentes dos cosméticos e maquiagens para adultos, a gama de cores e a fixação dos produtos infantis é bem menor, o que pode fazer com que muitas crianças prefiram usar os produtos destinados aos seus pais. Eis um perigo, já que o risco de um componente fazer mal à pele sensível das crianças é muito grande. Por isso, a dica é manter os cosméticos dos pais fora do alcance dos pequenos.

Fórmulas infantis
As fórmulas infantis possuem mais agentes hidratantes e menores concentrações de componentes químicos, por isso, são mais suaves para a pele delicada das crianças. E não é só para as meninas não. Meninos também possuem linhas próprias de cosméticos, geralmente inspiradas em personagens dos desenhos de ação. Na dúvida, vale a regra: o rótulo deve possuir indicações de segurança específicas incluindo a indicação da faixa etária de uso do produto. “Esses produtos são desenvolvidos para a pele sensível das crianças, portanto a chance de provocarem uma reação indesejada é muito menor”, adverte Yara Mello.

Quanto menos, melhor
No caso das crianças vale a regra: quanto menos, melhor. Não abuse da quantidade de cosméticos e, acima de tudo, não misture produtos diferentes. Esta é uma maneira de evitar reações adversas. Já nas fórmulas, quanto menor a quantidade de substâncias presentes na composição, menor o risco. “Quanto menos pigmentos, conservantes e fragrâncias, menor a agressão à pele das crianças”, explica Mika Yamaguchi, farmacêutica e consultora técnica da Biotec Dermocosméticos.

Vale lembrar, que mesmo com todos os cuidados, algumas crianças podem sofrer predisposições genéticas para alergias. Nesses casos é importante levá-las a um especialista. “Aos primeiros sintomas, os pais ou responsáveis devem lavar a área afetada com água fria e encaminhar a criança a um médico”, indica Affonso.

Fonte: http://vidaeestilo.terra.com.br/mes-das-criancas/noticias/0,,OI6246326-EI20954,00-Saiba+por+que+dizer+a+crianca+com+maquiagem+nao+se+brinca.html

Deixe um comentário