Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Com a chegada de dias quentes, as roupas diminuem, o corpo fica mais à mostra e, com isso, cresce a preocupação de deixar a pele impecável, livre de pelos, pintas e varizes. Por mais que a vontade de eliminar esses incômodos seja grande, o melhor a ser feito é esperar para realizar alguns procedimentos em estações quando a exposição ao sol não é tão frequente, como o inverno. “
Existem tratamentos que, com a exposição solar, podem formar manchas e até mesmo cicatrizes”, afirma a dermatologista Lilian Estefan, especialista em Laser, de São Paulo. Abaixo, confira os tratamentos que não combinam com o sol do verão.

Tatuagem

Muitas pessoas optam por fazer tatuagens na estação mais quente do ano. Tudo bem, desde que o local não seja exposto ao sol em hipótese alguma – o que pode ser difícil, dependendo da parte do corpo tatuada. “O sol pode interferir na cicatrização e fixação dos pigmentos, pois a radiação UV atinge a derme e provoca um processo inflamatório que resulta na reabsorção dos pigmentos”, alerta a dermatologista Daniele Murga, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Depilação definitiva 

A depilação a laser não pode ser feita com a pele bronzeada, o que a torna pouco indicado para o verão. “O laser usado pra depilação tem como foco o pigmento do pelo”, diz a dermatologista Renata Moino, da Clínica Essere, em São Paulo. “Se a pele estiver bronzeada, irá virar o alvo do laser, que pode machucar e provocar manchas.”

Remoção estética de pintas 

Muitas vezes, a remoção de pintas é necessária, pois podem se tratar de melanomas. Mas, se a remoção for apenas estética, o ideal é evita-la na estação mais quente. “Quando se retira uma pinta, fica uma cicatriz no local e, se a pessoa tomar sol nessa cicatriz, pode ficar com manchas escuras”, conta Renata Moino. Isso acontece porque o sol atrapalha o processo de cicatrização, podendo ocasionar, além de manchas, cicatrizes chamadas de inestéticas, ou seja, muito marcadas.

Peeling Químico 

O procedimento de peeling químico faz com que ocorra uma renovação da pele. “Essa nova pele ainda não possui proteção contra os raios ultravioletas do sol”, explica a dermatologista Lilian Estefan. “Se houver exposição solar posterior ao procedimento, pode ocorrer irritação, vermelhidão e manchas escuras.”

Lifting 

O lifting até pode ser feito no verão, desde que não haja exposição solar. Por isso, segundo a dermatologista Lilian, a maioria dos médicos prefere realizar o procedimento no inverno, quanto é mais fácil evitar o sol. “Para as atividades do dia a dia, a pessoa deverá usar protetor solar com fator de proteção alto e chapéus ou bonés”, indica a dermatologista.

Tratamento de varizes 

As varizes podem incomodar quem quer mostrar as pernas no verão, mas a melhor escolha sempre é deixar o tratamento para o inverno. “Após o procedimento, podem ocorrer manchas escuras, devidas ao extravasamento de sangue dos vasos, que podem piorar com a luz solar”, diz a dermatologista Lilian.

Laser CO2 

Segundo a dermatologista Lilian Estefan, o laser CO2 – considerado um dos melhores para rejuvenescimento – não pode ser feito no verão. Ela conta que esse tipo de laser atravessa a camada mais superficial da pele, a epiderme. “Qualquer exposição solar pode levar a manchas e cicatrizes”, afirma.

Laser pulsado 

A luz intensa pulsada, usada para remoção de manchas e vasos da pele, também não deve ser feita no verão. A dermatologista Lilian Estefan conta que o problema é semelhante ao da depilação definitiva a laser: a pele não pode estar bronzeada. “O laser foca o pigmento das manchas e vasos e, com a pele bronzeada, ela também se torna alvo do laser, podendo formar manchas e machucados”, diz a especialista.

Fonte: Minha Vida – http://bit.ly/rDhOTL

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.