Zinco ajuda a emagrecer e protege contra doencas

Mineral é muito importante para o bom funcionamento do sistema imunológico

Conhecido como ativador do metabolismo, o zinco desempenha um papel muito importante no bom funcionamento geral do corpo e é um aliado na luta contra os quilinhos extras. Isso porque os carboidratos e lipídios (gorduras) são absorvidos em maior ou menor quantidade dependendo da sua presença no organismo.

Outra colaboração do componente para o emagrecimento é quanto ao controle de apetite. “O zinco é responsável por regular a produção e eliminação da leptina, hormônio produzido pelo organismo para a função de controlar o apetite e responsável por armazenar a gordura e indicar ao fígado o trabalho que ele deve fazer”, explica a nutróloga Sylvana Braga. Segundo ela, a deficiência do zinco pode reduzir os níveis deste hormônio.

Assim, o nutriente é capaz de elevar a queima calórica ao mesmo tempo em que reduz a ingestão de alimentos. De acordo com a especialista, a pessoa que deseja emagrecer deve combinar a ingestão de zinco com uma dieta pouco calórica.

Além destes benefícios, o zinco também:

– Atua na liberação do hormônio de crescimento

– Estimula a atividade normal da insulina

– Colabora para o bom funcionamento do sistema imunológico, protegendo o corpo de diversas doenças e ajudando-o a combater aquelas que já se instalaram

– É fundamental para a correta digestão das proteínas

– Tem função antioxidante, inibindo a ação de radicais livres

– É ativador das funções sexuais, garantindo boa maturação sexual, fertilidade e reprodução.

O zinco pode ser encontrado em diversos alimentos, sendo que os principais e recomendados pela Dra. Sylvana são as ostras, em primeiro lugar, bem como germe de trigo, carne vermelha, fígado, ricota, amendoim, nozes, castanhas, queijo, arroz integral, leite e ovos.

Excesso de zinco
Por outro lado, consumir o nutriente em quantidades exageradas também pode trazer más consequências ao organismo, já que a alta concentração de zinco no sangue faz diminuir a quantidade de cobre, causando deficiência deste outro mineral. Os sintomas do excesso de zinco no organismo incluem diarreia, enjoos e vômitos, devido à irritação do trato gastrointestinal. Também pode ocorrer sudorese, taquicardia, visão embaçada e outros sintomas. A recomendação é não ingerir mais de 50 mg por dia.

Fonte: Corpo e Bem-Estar no Bolsa de Mulher – http://bit.ly/17ZMj77

Deixe um comentário